20 de ago de 2015

VELHA MÍDIA, NOVA CET

Midiática, um termo usual para aqueles que provocam a mídia para expor um acontecimento repentino ou planejado. Nesse sentido estamos nos meios de comunicação, mas a reflexão se faz necessária sobre todos os acontecimentos por vários ângulos inclusive da Diretoria de Representação.
Recebemos reclamação de empregado da GET CN/NO, no dia 11 de agosto de 2015 nas primeiras horas do dia, sobre procedimentos equivocados para fiscalização de veículos. No início da tarde, um dos membros da DR foi ao local e conversou com algumas pessoas, se apoderando dos fatos e informando ao Diretor, que por sua vez agendou reunião com o DO e Superintendente.
Temos em nossa empresa procedimentos que devem ser seguidos por todos e não podemos ultrapassá-los sob pena de incorrer no estabelecido em norma, para não falarmos em leis maiores que regram a fiscalização, como CTB e diversas portarias do DENATRAN.
Mas até que ponto uma denúncia nos ajuda?
Esse pode ser um bom momento para refletirmos. A empresa sangra, foi deixada de lado pelo poder público e seu corpo técnico já não suporta tantas ameaças. A rádio peão diz que a empresa vai acabar e ai vem o STF com uma decisão infeliz. Esse conjunto nos leva a procurar socorro de diversas formas e a mídia se apresentou para alguns como o ideal.
Os meios de comunicação podem sim acalmar a pressão interna no imediatismo, mas os resultados são nefastos a médio e longo prazo.
O jargão “INDUSTRIA DA MULTA” é pauta dos principais jornais de veiculação local e até nacional. A criatividade não para, dizendo que multamos surdos com celular, veículos que não engatam 1º marcha nos cruzamentos sinalizados com R1, enfim, expondo uma empresa que já foi referência e hoje respira por aparelhos. Os marqueteiros vão explorar toda essa situação e não só eles, muitos não compromissados na missão de orgulhar- se do que fazem, também vão sussurrar pelos corredores como cordeiros políticos altamente destrutíveis. Para esses, indagamos: pergunte ao seu companheiro se ele recebeu alguma ofensa por verbetes maldosos após essas reportagens?
A Diretoria de Representação está solicitando à mídia que noticie que somos trabalhadores que agem de acordo com a lei, pais e mães de família, na tentativa de diminuir a rejeição da população aos empregados. Dizemos isso, pois estamos recebendo muitas denúncias de agressões verbais que podem tomar proporções ainda maiores.
Lutamos por anos para nos livrarmos do jargão e agora teremos tantos outros para termos a valorização que merecemos.
Uma denúncia tem que ser pensada e repensada, a DR nas denúncias que fez se identificou seja no Ministério Público ou TRT, pois isso preserva os empregados e mostra a todos o nosso convencimento do fato.
Não estamos aqui fazendo julgamentos, mas afirmando nosso compromisso em defesa da empresa, nossos empregos e nossos empregados em todas as áreas da companhia.
O momento é gravíssimo e temos que buscar juntos, orçamento para adquirirmos equipamentos próprios, novas tecnologias e mão de obra.

Unidos pela CET, esse é nosso lema.