20 de ago de 2015

Providências


A DR vem acompanhando e cobrando todos os problemas detectados, documentando e relatando os fatos à gestão e ao sindicato.
Entendemos que o tempo de adequação da Haptech já se encerrou e que pelos acontecimentos a gestão não está preocupada com a saúde do trabalhador e seus familiares e sim com os custos.
A DR dentro da sua competência elaborou um documento e está anexando os relatórios de problemas acompanhados neste período e está protocolando no TRT com a Desembargadora Ivani Contini para providências

Futuro

Nós vivemos uma crise na saúde nacional, hoje temos 74 planos de saúde com pedidos de falência na ANS e mais 62 sob investigação com processos de intervenção.
A DR jamais defendeu e não defenderá um sistema privado,  que oscila conforme a gestão, como acontece com o VA e VR  e nós somos uma carteira de 47 anos o que não é atrativo para o mercado, infelizmente a saúde virou mercadoria. Nunca defendemos a Haptech e somos contra este contrato desde o início. 
Nos estudos elaborados pela DR chegamos ao entendimento que para a criação de uma fundação seria necessário a participação das empresas co-irmas: SPTRANS , SP URBANISMO, SP OBRAS, PRODAM, etc. Com isso teríamos um número maior de beneficiários com melhor suporte financeiro.
Não adianta falar que vai fazer a Fundação CET e ter o plano na aposentadoria e o funcionário após se desligar da empresa ter que pagar mais de 1000 reais. 

O nosso caminho agora é fazer o Secretário de Governo comprar esta ideia é para isso que vamos lutar. Seria mais fácil a gestão da CET se preocupar com saúde e não com custos nos ajudando nesta questão. Tendo em vista que o próximo passo é uma decisão política e não técnica.