7 de mai de 2014

Programa de Incentivo ao Empregado Atleta - PIEA


O próprio nome é um convite à reflexão acerca do sedentarismo e da qualidade de vida no ambiente corporativo.

Com está ideia de renovação a partir de junho de 2013, quando a Diretoria de Representação - Gestão Democracia e Renovação vêm inovando o incentivo aos empregados que buscam uma melhor qualidade de vida através da atividade física.

O programa implantado em 2009 ganhou nova roupagem onde o principal conceito é que a atividade física e do esporte se constrói a identidade individual, a identidade de equipe, laços de confiança e de reconhecimento, o que representa a valorização do trabalhador com respeito à integridade e aos limites de sua condição.


Com essas premissas foram efetuados investimentos em tendas de apoio aos eventos e também alterado o layout das camisetas dos atletas, hoje, o cardápio de alimentação é oferecido, antes durante e pós-eventos. O calendário de provas foi modificado, colocando diferentes desafios que contemplam caminhantes e corredores. Com percursos convidativos a superação pessoal, além de agregar a imagem social da empresa, rejuvenescendo a sua marca e aumentando o reconhecimento, simpatia perante a mídia e público geral.

As expectativas dos empregados resultaram numa frequência maior, agregando a marca CET responsabilidade social. Esta parceria vem mostrando que a atividade física é um fenômeno crescente que trás e gera resultados significativos tanto para a empresa, como para seus participantes.

Esse convencimento foi colocado para a gestão atual.

A Diretoria de Representação aceitou o desafio e conseguiu a aprovação de benefícios para 200 empregados, o dobro dos anos anteriores.

Ainda não estamos satisfeitos, lutamos para que novos meios de atividades físicas sejam implementados e acreditamos não demorar em atingir esse objetivo.

A Diretoria de Representação - Gestão Democracia e Renovação com o Sr. Camargo e equipe tem a proposta de inversão na forma de compreensão do valor atribuído a atividade física.

As funções antes vista como compensatórias, utilitárias e morais, frequente de interesse, passam a ser vistas como elemento de criação de componentes sociais e psicoemocionais favoráveis ao desenvolvimento integral do trabalhador que venham ao encontro da esfera ética, numa noção que antecede a produção.

Essas premissas norteiam nosso trabalho, e estamos em alerta constante para a implantação de melhorias para os empregados e empresa.