7 de abr de 2014

Vamos esmiuçar o BTE?

A urgente necessidade de um concurso externo soma-se nessa demanda a nova estrutura da Diretoria de Operações, que resultou na necessidade de muitas transferências.

Por falta de recursos humanos a nova regionalização da operação atendeu parte dos empregados nas transferências que promoveu, mas penaliza os remanescentes que esperam ser contemplados e dependem de novas contratações para serem atendidos.

O BTE não consegue dar respostas às expectativas dos empregados e gera um movimento paralelo informal nas áreas que vão fazendo acertos pontuais, resultando em mais problemas, desacreditando o mecanismo oficial de transferência, mesmo na melhor intenção.

E o DPD vem atualizando o interesse dos empregados no BTE.

A DR está estudando a respectiva Norma para propor alternativas a fim de que o BTE, efetivamente, seja um instrumento que contemple essa mobilidade de forma ampla e justa na empresa como um todo.

Para inscrição ou atualização, preencha e entregue pessoalmente ou via malote no DPD, na Sumidouro, o formulário que pode ser acessado na intranet ou solicitado no DPO, no caso da operação.

A solução do problema das transferências na CET passa pela necessidade de contratação de quadros, pela agilidade de atendimento através do BTE com menos interferências da chefia, pela justiça de critérios, sua aplicação de fato e pelo respeito à fila dos inscritos, o qual não ocorre quando informalmente se estabelecem as trocas casadas.


A transferência é um direito do empregado que deve ser respeitado pela chefia.